Plano de Ação para o Apoio aos Deficientes Militares (PADM), coordenado pelo CRPG, integra o novo Sistema de Atribuição de Produtos de Apoio a Deficientes Militares

A 19 de dezembro foi publicada a portaria n.º 444/2023 que cria o Sistema de Atribuição de Produtos de Apoio a Deficientes Militares (SAPADM), como próteses ou cadeiras de rodas, que simplifica procedimentos e agiliza processos.
Este Sistema reforça o âmbito de atuação do Plano de Ação para Apoio aos Deficientes Militares (PADM), coordenado pelo CRPG, como estrutura de acompanhamento personalizado.

O SAPADM institucionaliza um acompanhamento personalizado, incluindo a definição de uma lista de produtos de apoio e dispositivos médicos elegíveis e reutilizáveis, bem como as respetivas orientações para a sua aquisição e dispensa. Para assegurar a sua gestão, será suportado por um sistema de informação que permite acompanhar e monitorizar todo o processo, bem como detetar antecipadamente constrangimentos, combatendo situações de iniquidade entre deficientes militares. Este novo Sistema de Informação integrado permite uniformização, sistematização, rastreabilidade e partilha de informação, melhorando a fiabilidade dos dados.

Com este sistema surge a definição de um modelo que contempla uma forte mediação no apoio aos deficientes militares, a qual é desempenhada pelo PADM. O SAPADM é integrado pela Direção-Geral de Recursos da Defesa Nacional, pelo Estado-Maior General das Forças Armadas, através do Hospital das Forças Armadas, pelo Laboratório Nacional do Medicamento, no âmbito das suas atribuições de apoio ao EMGFA e aos ramos das Forças Armadas, pelo Instituto de Ação Social das Forças Armadas, e pelo PADM.